amuseBOUCHE

Para falar do que eu gosto...

DiárioReceitasVinhos & CiaDicas e AfinsDicionário

Arquivo de dezembro de 2011

Ainda o agreste

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Sobrou castanha e amendoim. E também sobrou camarão fresco, já sem casca e limpo, que não foi usado na moqueca que acompanhou o vatapá (post abaixo). Judiação desperdiçar. Mas como aproveitar? Veio uma idéia maluca: um tipo de pesto, rapidinho, meio nordestino, à brasileira, com jeitão e sotaque da nossa terra. Foi o prato do jantar desta última segunda feira. Apesar da foto sem nenhum “apetite appeal”, ficou uma delícia e fez bastante sucesso aqui em casa.

camaraoepesto1

Acompanhado de arroz branco e, é claro, da imprescindível Pimenta Comari que a Sandra trouxe…

pimentacomari

… combinou perfeitamente com um “Pikes – The White Mullet 2010” (australiano – corte de Riesling+Chenin Blanc+Sauvignon Blanc+Viogner) muito refrescante e cheio de caráter, começando bem uma semana de trabalho que foi extremamente dura e dasafiadora (coisas da China).

thewhitemullet

Camarão ao “Pesto” com Jeitão Nordestino

Ingredientes (para 2 pessoas):

- 1 punhado de castanhas de caju torradas.

- 1 punhado de amendoim torrado.

- 4 colheres de sopa de azeite.

- 1 punhado de coentro.

- Suco de ½ limão.

- Sal a gosto.

- 2 dentes de alho espremidos.

- 1 colher de sobremesa de manteiga.

- 400g de camarão descascado e limpo.

Modo de preparo:

1. Triture levemente num processador as castanhas de caju, o amendoim torrado, o azeite, o suco de limão, o coentro e o sal. Reserve.

2. Tempere os camarões com um pouquinho de sal e limão.

3. Numa frigideira grande ou panela esmaltada salteie o alho na manteiga, com cuidado para não queimar.

4. Quando o alho estiver dourado, juntar o camarão, refogar por uns 2 minutos e acrescentar o “pesto”. Misturar até que o camarão esteja cozido.

5. Servir com arroz branco e, é claro, pimenta de qualidade (a Comari, muito frutada, funcionou bem).

Com muito orgulho!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

 

Por total falta de tempo, acabei de esquecendo de avisar a todos que o AmuseBouche participou do 44º. Inter-Blogs do “Da Cachaça pro Vinho”. Só com receitas chinesas. Passem lá para dar uma olhada. Não é todo dia que a gente aparece em um blog de culinária tão importante!

Um bocadinho mais!

sábado, 10 de dezembro de 2011

Então a Dagmar aterrissa em Shanghai, direto da Bahia. Lá de Conceição do Coité, para ser mais preciso. Na bagagem, castanha, amendoim, dendê da melhor qualidade e camarão seco que D. Maria Helena mandou.

- Rogério, estão aí os ingredientes. Você tem que fazer vatapá prá nós!
- Faço com o maior prazer. Só que tem um detalhe… eu nunca fiz vatapá! Você, que é de família bahiana, me ensine como é que é .
- Hummm, é que… eu também nunca preparei. Fora estas coisas que trouxe prá você, nem sei direito o que leva.

E aí o jeito foi seguir os conselhos de Caymmi: “quem quisé vatapá ôooohhh… que procure fazê!” Lá fui eu consultar o “pai dos burros eletrônico”. Acontece que depois de um tempo cozinhando, a gente bate o olho numa receita e já sabe se vai dar certo ou não. E as que eu vi no Google não pareceram nada confiáveis. A alternativa foi procurar os amigos nordestinos aqui em Shanghai:

- Guiomar, socorro! Você tem alguma receita de vatapá?
- Tenho não…
- Mas que tipo de bahiana é você, mulher?!?
- Oxe, é que quem sempre faz vatapá lá em casa é mainha. Melhor vatapá que o de mainha eu nunca comi… (olhe, minha sogra não pode saber disso não, visse?).
- Então mande um email prá sua mainha, por favor. Peça a ela para mandar a receita.

D. Aparecida foi rápida, mandou a receita em 2 dias, numa mensagem carinhosa, detalhada e cheia de recomendações. E no domingo seguinte, panela de barro, pimenta, dende e camarão a postos, saiu o vatapá. Reduzi a quantidade de todos os ingredientes a ¼ pois a receita de D. Aparecida, transcrita fielmente abaixo, dá para um trio elétrico inteiro comer. É claro que faltou uma nega bahiana ôoooh, que saiba mexer (Wair, difícil encontrar por aqui). Mas o carioca, branquelo e careca até que se saiu bem: o vatapá ficou arretado! Prá cabra-da-peste-da-gota-serena nenhum botar defeito, meu rei.

vatapa1

Vatapá
(Receita da D. Aparecida)

Ingredientes:

- 1 kg de camarão seco descascado
- 15 pães cacetinhos (pães franceses) - usei pão de forma
- 250 g de amendoim
- 250 g de castanha de caju
- 3 copos de leite de coco grosso
- 50 g de gengibre ( se quiser, pode fazer sem )
- 1 molho de coentro
- 4 cebolas picadas
-1 xícara de azeite de dendê
- sal a gosto

Modo de Preparo:

1. Coloque o pão de molho com um pouco de leite de coco e deixe amolecer. Bata no liquidificador a cebola, metade do camarão seco, o amendoim, a castanha, o coentro, o sal e o gengibre e reserve.
2. Bata também no liquidificador o pão com o leite de coco.
3. Numa pannela misture o tempero com o pão batido no liquidificador e leve ao fogo, mexendo sempre. Acrescente o restante do leite de coco e continue mexendo.
4. Coloque o azeite de dendê e o restante do camarão seco.
5. Retire do fogo quando ele estiver soltando da panela. – e quando tomar cor. No começo não se desespere com a cor esverdeada do prato… tudo dá certo quando o vatapá estiver no ponto certo.
4. Sirva com arroz branco, moqueca de peixe ou de camarão.

Obs. : Se precisar pode usar mais leite coco e o pão é dormido (de um dia para o outro).

Amuse Bouche - Conteúdo alimentado por Rogério Moraes
Design; OPORTO design integrado