amuseBOUCHE

Para falar do que eu gosto...

DiárioReceitasVinhos & CiaDicas e AfinsDicionário

Feriado chvoso e frio(II)…

…ideal para sobremesas calóricas.

Para arrematar o almoço a Gabi fez nossa receita de souflé de goiabada. Uma delícia que inventamos a 4 mãos:

Comemos souflé de goiabada pela primeira vez na Pizzaria Basílica (Granja Vianna), que freqüentamos quase semanalmente, desde que foi inaugurada. As crianças ainda não haviam nascido naquele tempo. Passados uns 8 anos, continuo achando que é a melhor pizzaria de São Paulo. Nenhuma tem redondas tão suculentas. Nenhuma tem o atendimento da Val e suas colegas, que nos conhecem pelo nome. Há sempre um sorriso extra para nós, mesmo nos domingos movimentados.

Nossa sobremesa preferida na época, o souflé de goiabada esteve no cardápio da Basílica por pouco tempo. A produção era terceirizada e, um dia, o fornecedor sumiu. Decidimos tentar reproduzir a receita em casa. Procurei indicações e receitas na Internet, mas não encontrei nada interessante. Tivemos de partir de algumas receitas de Petit Gateau e Souflé de Chocolate, adaptando ingredientes e quantidades. Após 2 ou 3 tentativas conseguimos um resultado muito bom, que é a receita abaixo. Dá para mais ou menos 8 ramekins (aqueles potinhos de porcelana que vão ao forno).

- 300g de goiabada em pasta, da melhor qualidade. Cuidado com o que se vende nos supermercados! Caso não encontre uma boa goiabada em pasta, bata a mesma quantidade de goiabada cascão no liqüidificador, com um mínimo de água.

- 120g de manteiga.

- 3 ovos + 1 clara.

- 2 colheres de sopa de açúcar.

- 2 colheres de sopa de farinha de trigo com fermento.

- 1 colher de café de fermento.

Prepare assim:

Unte os ramekins com manteiga e farinha de trigo. Derreta a manteiga numa panela e misture a goiabada. Reserve. Na batedeira, bata os ovos+a clara com o açúcar até ficar fofo. Desligue a batedeira. Acrescente misturando com uma colher de pau: a goiabada, depois a farinha, depois o fermento. Despeje a massa nos ramekins (apenas até a metade, porque o souflé vai crescer).

Asse em forno bem quente até crescer e a superfície ficar levemente dourada. Não abra o forno enquanto o souflé estiver assando. Sirva imediatamente com um creme gelado de 1/2 copo de requeijão misturado à mesma quantidade de creme de leite fresco.

Dica: descobrimos que a massa pode ser preparada com antecedência e guardada na geladeira, já nos ramekins. Na hora de assar, é só levar ao forno quente, direto da geladeira. Isto quebra um galhão, principalmente quando se tem convidados.

É isto!

Deixe um comentário

 
Amuse Bouche - Conteúdo alimentado por Rogério Moraes
Design; OPORTO design integrado