• Rogério

Comunicação

A coisa começou assim:


- Alô, Patrícia, é o Rogério. Tem alho aí em casa?

- Tem bastante, seu Rogério.

- Então me faça um favor: encha de água a panela para macarrão e deixe em cima do fogão. Pique um punhado de salsinha bem picadinha e descasque uns 4 dentes de alho. Depois fatie bem fininho. Quando a Gabi voltar do trabalho vamos fazer um spaghetti ao Aglio e Oglio. Daqui a pouco estou chegando em casa e gostaria que você me ajudasse com as muletas, tá? Obrigado.

- Tudo bem, seu Rogério.


Desci do táxi, subi as escadas (de bunda!) e fui falar com as crianças, que já estavam de volta da escola. Não pude deixar de notar o cheiro forte de alho que impregnava toda a casa. Pensei comigo mesmo: puxa, que qualidade de alho é esta que está cheirando tanto… são só quatro dentes picados, por que este cheiro tão forte?!?


Horas depois fui para a cozinha com a Gabriela. Conforme o costume, desde que me acidentei ela pilota fogão e eu fico sentado por perto, uma taça de vinho na mão, dando as instruções:


- Gabi, abre a janela. Tá um cheiro de alho aqui…Pega a panela média, bota um pouco de azeite, por favor. Quando esquentar vira este alho que está fatiado aí neste pote.

- Tem certeza, Rô?

- Por que, Gabi?

- Olha só de onde está vindo tanto cheiro de alho!


E foi então que entendi. Ao invés de descascar 4 dentes de alho, Patrícia descascou 4 cabeças de alho! É alho para mais de um mês de consumo! Fizemos o jantar usando apenas a quantidade necessária. No dia seguinte, tento achar uma alternativa para o desperdício. Resolvo fazer uma sopa*.


Começa tudo de novo:


- Alô, Patrícia, é o Rogério. Tem batata aí em casa?

- Tem bastante, seu Rogério…


* A receita? Eu queria fazer esta aqui. Mas ela não usa tanto alho quanto eu tinha em estoque. Acabou sendo uma sopa de batata e muito alho que foram cozidos, escorridos e depois batidos no liquidificador com caldo de galinha. Voltei o líquido à panela, aqueci e acrescentei um bom punhado de folhas de espinafre. No final, um pouquinho de creme de leite fresco e uma pitada de páprica picante, com a sopa já no prato, para enfeitar. Não fotografei nem anotei as quantidades. Ficou gostoso, mas não “blogável”.

© 2020 Rogério Moraes