• Rogério

Shìn niàn kuài lè!!!

Resoluções de ano novo são coisa complicada. Geralmente estabelecemos desafios intransponíveis e recorrentes, achando que com a virada de dezembro para janeiro, desta vez sim, muita coisa vai mudar. A verdade é que continuamos (quase) os mesmos. Os meses passam, nada acontece. E dá-lhe frustração. Comigo, pelo menos é assim.

Por isso em 2011 decidi baixar as expectativas. Mentalmente, dividi meus objetivos em duas categorias: os agradáveis e os necessários. Mais ainda, procurei limitar ao máximo a quantidade do que me auto impus. A lista ficou assim:

Objetivos “agradáveis”

- Começar um curso de fotografia: para tentar tornar as fotos deste blog um pouco mais decentes.

- Começar um curso de culinária chinesa: afinal, estando “in loco”, não há desculpas. Preciso entender melhor a intrigante cozinha deste país, que passa longe dos “China in Box” e assemelhados.

Objetivos “necessários”

- Estudar Mandarim diariamente, religiosamente: é o único jeito de aprender esta língua.

- Voltar a fazer alguma atividade física regular: dispensa comentários…

Passado um mês, posso dizer que o balanço do que realizei até agora foi bastante positivo:

- Curso de fotografia: já bem encaminhado, começo em meados de fevereiro.

- Mandarim: estou quase lá… digamos que tenho conseguido estudar religiosamente umas 3 ou quatro vezes por semana. Já é um progresso.

- Curso de culinária chinesa: grandes progressos! Começamos (a Gabi e eu) há três semanas. Depois de muita procura, encontramos um Cooking Studio “fèichang hăo”. O “The Kitchen at” é pilotado por Miranda Yao e seu marido o chef Norris Chen, que dá aulas de cozinha ocidental (geralmente para chineses). A culinária chinesa fica a cargo do chef Allan Wang e mais um time de convidados, conforme a especialidade. Apesar das classes serem em Mandarim, Miranda – que é formada em letras – acompanha os alunos traduzindo tudo para o Inglês, com muita clareza. Fichas técnicas e instruções de cada receita também são bilíngües.


Estamos curtindo muito cozinhar e aprender juntos. Como eu esperava, é surpreendente a variedade de técnicas, ingredientes e modos de preparo deste lado do mundo. Tudo muito diferente da maneira “européia” de cozinhar. Tudo interessantíssimo. Aos poucos, vou dividindo algumas destas descobertas por aqui.


Os mais atentos devem estar se perguntando sobre o “voltar a fazer alguma atividade física regularmente”. Pois bem, isto vou deixar para o ano novo… não 2012, vejam bem, mas para o ano novo Chinês, que começa exatamente hoje, 3 de fevereiro: shìn niàn kuài lè!



© 2020 Rogério Moraes