• Rogério

Sugar Daddy - Você Tem Certeza de que Quer Mesmo Ouvir a Verdade?

Já contei por aqui que comemos na Pizzaria Basílica pelo menos a cada 15 dias, desde sua inauguração, há 10 anos. As garçonetes nos conhecem pelo nome, as crianças adoram e fica pertíssimo de casa: perfeito para o jantar de domingo à noite. Ontem David e Lucas dormiram na casa dos avós. Fomos apenas eu e a Gabi, levamos um vinho nacional para experimentar e curtimos a noite como um casal sem filhos. Tudo muito agradável exceto pela conversa com a garçonete no final do jantar (risos). Tentem imaginar a cena: Eu (para a garçonete): Traz a conta pra mim, por favor? Garçonete: Vocês vão querer café? Eu: Não… na minha idade se eu tomar café a esta hora não durmo mais. Gabi (falando para a garçonete e apontando para mim): É duro ter 55 anos! Garçonete: 55 anos?!? Só?!? Não acredito! Gabi: não… ele tem 40! Garçonete (olhando com cara de quem não acredita que eu tenha “apenas” 40 anos): É?!?! Gabi: E eu tenho só 20! Garçonete: Ah…é mentira! Você deve ter a minha idade: uns 27 anos. Gabi (rindo): muito obrigada, querida. Acabei de ganhar o meu dia! Eu já tenho 35! Garçonete (confidenciando baixinho): não parece que você tem 35. Posso falar a verdade? A gente sempre comentou por aqui… vemos você chegando com seu marido mais velho, você sabe, de muletas… E você tão novinha… Aí a gente pensa: Nossa, esse cara deve mesmo ter muito dinheiro! Nota de protesto – em minha defesa tenho a dizer que: a) Não tenho muita grana. Sou assalariado. E quando nos casamos não tínhamos onde cair mortos! b) As muletas – obrigatórias para quem fez cirurgia de joelho –  devem ir embora nos próximos 20 dias. c) Como quem pagou a conta fui eu, nesta noite a garçonete não levou gorjeta! Para quem quiser saber do vinho: Pizzato Cabernet Sauvignon 2004 – Tinto - Pizzato Vinhas & Vinhos, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves, RS, Brasil. - 100% Cabernet Sauvignon. - Comercializado por: Assemblage – Granja Vianna – R$ 38,00 - Bebido em 02.ago.2009 ® Rubi escuro. Frutas vermelhas, pimentão, pimenta, madeira. Na boca levemente ácido, confirmando a pimenta preta e as frutas. Também vegetal (alfafa?). Corpo leve a médio, taninos equilibrados. Típico cabernet da América do Sul, mas sem a “doçura” encontrada nas produções em grande escala do Chile e Argentina (gosto da idéia de fugir deste modelo de vinho “adocicado”). Interessante. Compraria novamente. Bebemos com a pizza de calabresa da Basílica, que leva bastante cebola. As cebolas se sobrepuseram ao vinho. Não harmonizou bem, por ser um vinho relativamente leve.



0 views

© 2020 Rogério Moraes